Casa em Santo Amaro, Monção

Ceivães, Monção
1997/2000

A casa em Santo Amaro, Monção, deveria ser a materialização de um universo onírico e a síntese de referências e memórias: as paredes em granito, a cobertura em telhado e os pilares com capitel em granito, etc. A casa é um retiro, espaço de paz e contemplação mas também uma referência no território, a “entrada na quinta”, a infra-estrutura de exploração de seis hectares de vinhedo. O programa é o de uma família grande, e em crescimento. A casa tem como ser adaptar.

A linguagem arquitectónica desejada determinou as soluções estruturais e a composição das paredes exteriores. Foi desenhada a estereotomia destas paredes e dos pilares em granito. Os pórticos e os alpendres, as varadas e os pátios tem da casa do Minho as configurações e as funcionalidades requeridas para enfrentar as Estações do Ano. A eficácia dos isolamentos térmicos, ainda que em moldes não convencionais, e dos ensombramentos dos vãos durante o verão, acrescentam conforto e racionalidade no consumo de energia.