Casa na Foz, Porto


Rua da Trinitária, Porto
1999/2004

O lote desta casa na Foz é “apertado”. Nele é imposto um perímetro de ocupação para os vários pisos. Antes de mais, houve que encontrar a partição funcional do espaço interior que aceitasse o perímetro exterior obrigatório, e daí “fazer arquitectura”.

A distribuição das áreas ocupáveis obrigou a encontrar estratagemas para afectar ao quotidiano da família a fruição do máximo espaço da moradia. Neste contexto acontece a sucessão de salas no r/c e a divisão do espaço de estar em dois níveis com recurso ao desnivelamento do jardim. Este é chamado a resolver problemas internos.